Acesso à informação

Os líderes do BRICs reuniram-se pela primeira vez, de maneira informal, à margem da Cúpula do G8 (Hokkaido, 9 de julho de 2008). Na ocasião, instruíram seus Chanceleres a organizar a I Cúpula do BRICs. Desde 2009, os Chefes de Estado (Chefe de Governo, no caso da Índia) encontram-se anualmente (ver Declarações e Planos de Ação das Cúpulas). As Cúpulas do BRICs/BRICS, que contaram com a presença integral dos líderes, foram as seguintes:

  • I Cúpula: Ecaterimburgo, 16 de junho de 2009
  • II Cúpula: Brasília, 15 de abril de 2010
  • III Cúpula: Sanya, 14 de abril de 2011
  • IV Cúpula: Nova Delhi, 28-29 de março de 2012
  • V Cúpula: Durban, 27 de março de 2013
  • VI Cúpula: Fortaleza/Brasília, 15-16 de julho de 2014
  • VII Cúpula: Ufá, 8-9 de julho de 2015

Por iniciativa do Brasil, os líderes também passaram a reunir-se à margem das Cúpulas do G20 Financeiro. Esses encontros têm permitido a concertação entre os cinco países no tocante à agenda do G20, em particular sobre a reforma das instituições de Bretton Woods (Banco Mundial e FMI). O primeiro encontro ocorreu por ocasião da Cúpula de Cannes, em novembro de 2011, quando os BRICS discutiram possibilidades de atuação conjunta para mitigar os efeitos da crise financeira e apoiar a recuperação da economia mundial. No ano seguinte, em Los Cabos, os líderes decidiram aumentar suas contribuições individuais ao FMI (China: US$ 43 bilhões; Brasil, Rússia e Índia: US$ 10 bilhões cada; e África do Sul: US$ 2 bilhões, totalizando US$ 75 bilhões). Os BRICS condicionaram os novos aportes à implementação da Reforma de Quotas e Governança do FMI, aprovada em 2010.

Em setembro de 2013, em São Petersburgo, os líderes do BRICS anunciaram que o montante do capital inicial subscrito do Novo Banco de Desenvolvimento seria de US$ 50 bilhões, e que os compromissos individuais dos países ao Arranjo Contingente de Reservas seriam os seguintes: China, US$ 41 bilhões; Brasil, Índia e Rússia, US$ 18 bilhões cada; e África do Sul, US$ 5 bilhões (ver nota à imprensa emitida na ocasião). Em julho de 2014, em Fortaleza, foram assinados os acordos do Novo Banco de Desenvolvimento e do Arranjo Contingente de Reservas.

A VII Cúpula do BRICS foi realizada em Ufá, Rússia, em julho de 2015. A Cúpula de Ufá foi marcada pela ratificação dos acordos constitutivos do Novo Banco de Desenvolvimento e do Arranjo Contingente de Reservas. Foram realizadas as primeiras reuniões do Conselho de Governadores e da Diretoria do Banco. Os entendimentos mantidos entre os Bancos Centrais dos BRICS durante a Cúpula tornaram o Arranjo Contingente de Reservas plenamente operacional. Os Líderes dos BRICS aprovaram em Ufá a "Estratégia para a Parceria Econômica", roteiro para a intensificação, diversificação e aprofundamento das trocas comerciais e de investimento entre os cinco países. Foram assinados acordos de cooperação cultural e de cooperação entre os Bancos de Desenvolvimento dos BRICS e o Novo Banco de Desenvolvimento.